2 de set de 2015

DE CAMA VAZIA - E CORAÇÃO TAMBÉM


**Esta é uma postagem coletiva produzida pelos Escritores da Era do Compartilhamento e o tema é "saudade".**

Aquela cama de casal parecia tão maior essa noite, tanto que fazia com que eu me sentisse como um pingo de chuva que caíra no oceano - se perdia no meio de tanta água. E eu, acabava me perdendo no meio de tanto espaço vazio. 

Acabara sentindo falta de fazer meus pés gelados roçarem nos seus, que eram tão mais quentes. Me lembrei daquele teu jeito peculiar de balançar as pernas na hora de dormir só porque eu pegava no sono mais rápido. Aquele cafuné desajeitado com um ar de cansado e a falta de movimento das tuas mãos quando acabavam pegando no sono no meio de uma carícia. 

Me peguei pensando em uma das coisas que eu mais gostava: deitar em teu peito. Você sem camisa e eu podia sentir sua pele quente aconchegar meu rosto que sutilmente repousava em você. Me atentava cuidadosamente às batidas do teu coração, e aquela sinfonia me enchia os olhos de lágrimas. Esta noite, ecoava pelo quarto esse som, e era como se uma vitrola começasse a tocar a música que teu coração produzia. É como se aquela atmosfera se recriasse no meu quarto, preenchendo o que há muito tempo era apenas vazio. 

Um cheiro tomava conta do lugar, um cheiro que remetia à lembranças de casa, mas na verdade, aquele cheiro tão aconchegante vinha de você. Você era o meu lugar. 

E, de repente, aquele quarto já não era tão escuro quanto antes. Não tinha aquele ar pesado e solitário. Porque eu percebi que essas coisas não aconteciam dentro daquele cômodo. Não era apenas a cama que estava vazia. 

Aconteciam dentro de mim também. E, naquela cama, estava refletido o que havia no meu coração: nada. 

Era tudo diferente naquela noite. Porque não era você. Na verdade, não era ninguém.  A cama continuava vazia e a sinfonia já não tocava mais. 

E ali resolvi assumir algo que fazia eu me sentir fraca: eu ainda me lembrava dos nossos momentos naquele quarto. Lembro de como já rolamos naquela cama e como ela parecia pequena pra nós dois. Hoje, ela parece grande demais pra mim...

Você se foi, e agora eu começo a aceitar isso. Só preciso de um tempo pra entender que preciso dormir no meio da cama apenas para não sentir a falta de alguém no outro lado. Preciso de um tempo pra fazer aquela sinfonia voltar a tocar, mas dessa vez a música seria feita por mim. 

Não senti a sua falta. Não era a sua presença que eu queria. Eu gostava mesmo dos detalhes, desses gestos. É deles que eu sinto falta. 

E eu prometo pra mim, o que hoje está oco em meu peito irá transbordar. E essa cama vazia me fez ver que sou eu por mim e mim por eu. 

Você consegue ouvir? A sinfonia logo voltou a tocar e no meu coração uma fina cascata começava a surgir. 

E a lágrima que caía dava lugar a um sorriso, que me dizia não ter nada de errado em ter um espaço vazio por perto. O problema realmente acontece quando você acha que ele só será preenchido com uma outra pessoa que não seja você. 


**Segue abaixo mais textos com o tema 'saudade':
+ Saudade de infância tem cura, doutor? - Tatiane Argenta
+Queria te guardar em mim  - Leca Lichacovski
+ A saudade é uma miragem - Sâmela Faria
Aprendi a conviver com a saudade, mas não aprendi a te esquecer. - Jô Lima
+ Saudade tem sua beleza - Joany Talon
+ Eu sempre gostei de plurais - Nathalia Moraes
+ De repente amor, te esperar terminou... - Juliane Rodrigues
+ 11 graus de frio e saudade - Tamyhe Engler
+ A renda e as pedras - Taciana Gaideski
+ Tatuei na pele - Fernanda Probst
+ Devaneios de uma saudade de domingo - Cristina Souza
+ Traduzo a saudade em forma de você - Pâmela Marques  
+ Tô com saudade dela - Fábio Chap
Saudade é aquilo que fica quando algo ou alguém importante vai embora - Valter Junior 
Pôr do sol - Tayane Sanschri
Layna Diaz 
Entre estrelas e saudades - Fernando Suhet

2 comentários: